sexta-feira, fevereiro 28

1904


HOMENAGEM AO "FEITICEIRO" HUNGARO

Encontra-se na porta 18 do estádio (junto à estátua de Eusébio), mas do lado de dentro onde já estava também o busto do malogrado Fehér.

QUE VÃO PARA A SEGUNDA

Não merecem andar na liga principal. É esta mentalidade que destrói o futebol.
De mim nem um centimo.

110

Sim. NÓS sabemos.
E tal como Portugal não se tornou PORTUGAL somente quando se lhe juntou o alentejo e algarve, O BENFICA começou como SPORT LISBOA e juntou se lhe mais tarde o apelido que o projectou no mundo. 
1904 é o ano da fundação
nasceu o clube do meu coração
qual é o seu nome?
Eu vou gritar...
SPORT LISBOA E BENFICA

PARABÉNS AMOR MAIOR

110 ANOS DE HISTÓRIA. 110 ANOS DE GLÓRIA.

O VERDADEIRO HINO DO SPORT LISBOA E BENFICA

quinta-feira, fevereiro 27

DESCUBRA AS DIFERENÇAS





IMPRESSIONANTE

Como o mundo corrompido se adapta à sua forma.
Deve ser mãozinha do Hugo Gilberto.

ÇEPORTIM EM DESTAQUE


quarta-feira, fevereiro 26

HOMENAGEM

A coluna do Senhor Mário. ETERNO.

terça-feira, fevereiro 25

JARDEL

O homem ontem fez questão de jogar assim neste estado.
NUNCA MAIS falemos contra ele.

O MEU PEQUENO TESOURO

Há dois anos consegui que ele me assinasse a sua imagem mais emblemática.
Tenho em lugar de destaque na minha sala. My precious.

IMORTAL

DEP Senhor Coluna.
Foi um prazer tê-lo conhecido pessoalmente.
Que rombo no património humano do meu clube trouxe este ano de 2014.

segunda-feira, fevereiro 24

GOLAÇO

O golo do Nãomefodasóvic será a coisa mais aproximada com sexo que se verá fazer a um guarda redes, dentro de um campo de futebol, tal o nivel de violação.
O golo é dedicado inteiramente ao ToZé Marreco que andou indignado por não ter nome sérvio.

AFONSO HENRIQUES REVISITADO


AIN´T KARMA A BITCH?

Parte 1 e 2. E ainda espero pelo momento "K" numa qualquer Taça.

domingo, fevereiro 23

VOX POP

"Pinto da Costa diz que, no FCP, "os ratos não fogem".
Mas lembro-me bem de ele ter fugido para a Galiza."
By João T in FB
.

SFF


O NOSSO FABIO PAIM

É "designah", segundo o próprio.
in FB.

quinta-feira, fevereiro 20

É OFICIAL

Jogam na Xbox às quintas feiras.
in DAQUI

E SE FOSSE O JESUS????


BOA HOMENAGEM

Por parte do PAOK.

PS:De novo não vi UM SEGUNDO do jogo. GANHÁMOS.

EIN TRAQUE?

NEIN. Zwei Traques.
...
Na bancada o resultado foi 15 traques a zero.
Estranhamente não ouvi a VARA cantar o "SLB...SLB...filhos da...SLB...".
Estranho. Vá se lá perceber.

MESTRE BUFAS DIZ...

Foto Daqui

quarta-feira, fevereiro 19

THE AFTER

O episódio piloto satisfez me bastante.
Alea Jacta Est.

I AM A UKRANIAN

CARREGA COSTA

Chegarás a residente da república. AQUI
.

KIEV

Para perceber o presente há que conhecer o passado.

REFORÇO DE INVERNO


terça-feira, fevereiro 18

263.043

Um amigo meu tornou hoje o filho recém nascido, sócio do MAIOR.
É o numero supra.
.

TAÇA DA LIGA

Parece que a Comissão de Disciplina da FPF deliberou que será o fócul a ir a jogo às meias.
Vou esperar 3 minutos antes de opinar.

"A" BANDA ESTÁ DE VOLTA

NADA A DIZER

segunda-feira, fevereiro 17

TEMA DO MOMENTO PRÁ ANDRADAGEM CORRUPTORA

De toda a vara somente foram condenados 5, e ao fim de 4 anos.

DO MAU GOSTO

E do aproveitamento comercial de uma ideia bonita.
Se há coisa que me tira do sério é quererem ganhar dinheiro com material mau, mal feito e com detalhes miseráveis. AQUI.
É um facto que já fizemos cachecóis como um grupo de amigos adeptos e sócios do SLB, ressalvando que TODO o dinheiro reverteu SEMPRE para fazer algo pelo MAIOR, murais pintados, placa em Belém e até em ajudar benfiquistas a realizarem o sonho de ir à LUZ.
Sempre a pensar em Cosme e nos seus ideais sociais.
Para mercantilismo está cá o clube-empresa.

VALAR MORGHULIS

domingo, fevereiro 16

PARABÉNS GRANDE 7


3 PONTOS

Nada mais que isso.
Curiosamente diz quem sabe, que ficam a faltar 33 pontos para o 33.
Cenas.

sábado, fevereiro 15

sexta-feira, fevereiro 14

SÃO VALENTINO


TU ÉS O MEU AMOOOOOOOOORRRRRRR
SEJA ONDE FOOOOOOOOOOORRRRR...

quinta-feira, fevereiro 13

FACEBOOK

Ando por AQUI com uns amigos.
Apareçam.

quarta-feira, fevereiro 12

STAND UP COMEDY

FARTOTE DE RISADA
.

DOS COMUNICADOS

Comunicado da Ordem dos Bob´s Construtores, Especialistas em CUberturas, Inginheiros Civiles e restantes DUX´s.

terça-feira, fevereiro 11

SOMOS PRIMEIROS MAIS ISOLADOS

É só continuar SFF. Era só. Obrigado.
.

VOX POP

"então levam coletes reflectores e mesmo assim são atropelados?? comunicado já."
by Luis F. in FB
.

A AZIA DO JORGINHO

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
LÃmentável Jorginho, LÃmentável.

PS: MAIS UM LÃpso...peço desculpa.

CONTINUEMOS COM A LÃ

Que caLÃmidade, nem UM remate por parte de Vila Miséria.
LÃmentável.
Espera se a todo o momento mais um comunicado.

PS:Parece que afinal fizeram um remate, LÃmento pelo LÃpso.
.

PENSAMENTO DO DIA


segunda-feira, fevereiro 10

VOX POP

"Uma coisa é certa o que nos aconteceu no estádio nunca aconteceria no pavilhão dos lagartos por exemplo."

by Luis F. in FB
.

JACOBINISMO v.2.1

Curiosamente um partido novo de seu nome, Livre, de um tal de rui tavares (fui ver na net, é um nerd recalcado com cara de Trotski e de quem foi calduçado ate ao comunismo na escola, ver foto), não permite monárquicos nas suas fileiras.
"Liberdade, mas só à minha maneira. A bola é minha, já não me apetece jogar mais, vou para casa."
JÁ CÁ HAVIA POUCA MERDA PARTIDÁRIA.
Da minha parte desejo lhe o mesmo fim que ao Trotski original.

RE-DÉRBI

Perfumem-se.
Amanhã receberemos de novo as nossas putas.
.

O DÉRBI

Se amanhã ganharmos, o tema da lã será Lana Caprina.
Eles que gozem. Prefiro os três pontos.

domingo, fevereiro 9

RESUMO DO TEMPORAL STEPHANIE.

Hoje, fizemos juz à alcunha...Lã Piões.
Os lagartos sairam da luz sem uma derrota.
Jogo remarcado para terça feira, os lagartos experienciarão jogo europeu.
Relembro, em relação às bocas, que há quem ande a colar azulejos que caem desde 2003.

sexta-feira, fevereiro 7

CARREGA GENERAL


MAIS UM TRABALHO MEU

QUAL MIRÓ QUAL CARAPUÇA

Nas Caldas também se faz arte. Alguém se preocupa com isso?
Apoiem o produto nacional. Apoiem as Caldas da Rainha.
Peças das Caldas em leilão no Sotheby´s SFF.
Foto fonte FB

DOS IDIOTAS

Este caso passa se na área do Gil Vicente, ataque por parte de Markovic.
As aventesmas discutem se seria ou não penalti contra o BENFICA.
Veio lembrar me a razão porque deixei de assistir a este tipo de programas.
É que ainda sou do tempo do Domingo Desportivo.
E depois de comer bife da vazia de vaca barrosã alguém quer comer courato de porco?

FIM DE SEMANA DE DÉRBI...O VERDADEIRO...O UNICO!


quinta-feira, fevereiro 6

TAÇA DE PORTUGAL

Meias finais
26 de Março : Outros-BENFICA 
16 deAbril : BENFICA-outros

quarta-feira, fevereiro 5

LAGARTO A MUDAR A PELE

Todos sabemos que o fazem, mas raramente são vistos a faze lo em público.
Fica o registo.

O MEC

É um texto longo mas absolutamente delicioso e indispensável.
MEC no seu melhor.
É semana de dérbi, aplica-se.

Miguel Esteves Cardoso, in Revista DNA, do Jornal Diário de Notícias de 27/05/2005


Só para benfiquistas

QUEIRA A TODA A FORÇA QUE O SPORTING GANHASSE AO CSKA. Com a mesma força que queria que Fernando Rosas tivesse sido eleito Papa; que Bush pusesse termo à gastronomia portuguesa e só houvesse, no território nacional, McDonalds para comer e que Sinatra tivesse tido a voz do vocalista da Ala dos Namorados.
Já sabia que o Sporting não ia ganhar porque, Dostoievski por Tolstoy, a tragédia russa é uma farsa francesa de Feydeau ao pé da tragédia profunda do Sporting. A Rússia nunca tinha ganho um troféu europeu e este destino animava a alma russa, dando-lhe o desalento essencial que é como dióxido de carbono para ela. O Sporting conseguiu dar-lhe três garrafas cheiinhas de oxigénio, entontecendo os pobres coitados das estepes. Só o Sporting conseguiria tal feito.
É certo, talvez, que o Benfica também perdeu com o CSKA. Mas os jogadores do Benfica, de tão presunçosos e “cool”, acham que sair do dos balneários e deixarem-se admirar pela multidão já é uma grande vitória.
Mexem-se mais – e são mais aguerridos – ao espelho do alfaiate do que em campo. Ganham sempre e têm a certeza dum lugar no céu por se sujeitarem a partilhar uma bola com “outra” equipa (iaque...!). Enfim, é outra psicose. Porventura mais grave até – mais época e até alegre. Daquelas que os psiquiatras preferem não tratar, por ser tão belo o problema e fazer tanto bem aos doentes.
Mas o Sporting sofre de mal pior – e incurável. Tal como o nome inglês que têm, são “losers”. Não digo que não sejam portugueses. Sim, são.
São o Fado, a tragédia marítima, o “Desterrado” de Soares dos Passos, o genialmente apelidado de centro comercial Alvaláxia (12 cinemas excelentes e, até à data, nem um único espectador).
Assim como os lusitanos tomaram o nome do filho de Baco (deus dos jogos, divertimentos, da volúpia e do teatro), dando origem aos “lusos” de Camões e aos “lusitos” da Mocidade Portuguesa, os sportinguistas tomaram o nome de “loser”. Nós somos os lusitos – eles os luseiritos. Perdem. Perdem muito, pobrezitos.
É altura chegada de explicar porquê. Estarei a revelar um segredo de vetustos benfiquistas – mas não me importo. Aquela boa rapaziada não merece continuar mergulhada na escuridão quanto às origens.
A verdade é que o “Sporting” foi inventado às duas e meia da manhã no restaurante Tavares por quatro benfiquistas bem barbudos e regados – como piada. E, dada a alcoolização dos convivas, não espantará que tenha sido uma má piada.
“Ouve lá”, disse um dos jantarantes, “o que tinha graça era criarmos outro clube de futebol aqui em Lisboa para a malta se rir um bocadinho...”
Os outros, que não tinham mostrado misericórdia menor no conhaque, logo aderiram, entrando naquele delírio que é próprio das grandes bubas – com a notável diferença que nenhum se arrependeu no dia seguinte. Aliás, que eu tenha conhecimento, nenhum benfiquista até hoje.
“Podíamos dar-lhes um nome inglês, para ser mais ridículo...” disse outro, esvaziando o cálice com a rapidez que é própria do processo criativo.
“B-b-boa ideia”, interveio outro, acrescentando (como era um pouco “gay”): “E um equipamento de equipa de râguebi ou colégio inglês, às listas... verdes talvez”
Todos se riram muito e concordaram que assim se havia de fardar a anedota. “Como um todo da praia de Cascais, estás tu a dizer?”, indagou um. “Echatamente, maiche maiche de praia inglecha, tipo Brighton”, recechepondeu o proponente.
O filólogo dentre eles, membro proposto para a Sociedade de Língua Portuguesa (embora repetidamente rejeitado) disse logo que as três palavras mais inglesas eram “Sporting”, “racing” e “yachting”.
Recomendou a última palavra mas os amigos, estando tão bêbados, só ouviram a primeira palavra: “É isso mesmo – Sporting!”
Outro disse logo: “E quando jogássemos com os desgraçados poderia chamar-se...”
Aqui parou para se rir, porque é próprio de quem bebeu de mais achar graça ao que lhe vai saindo da cartola.
“Poderia chamar-se...”derby”!”
Foi uma risota geral. O mais “gay” ainda sugeriu que os jogadores do “Sporting” usassem sempre um chapéu de coco e trouxessem a última edição do “The Times” debaixo dos braços esquerdos. Mas num acesso de sobriedade, a medida foi considerada excessiva. “E um guarda-chuva? É que chove muito em Lisboa...”
“Não... não...” acenaram os amigos, afastando a garrafa de conhaque das beiranças do homem – um pouco hipocritamente , porque a ideia agradou-lhes bastante.
O filólogo ainda alertou para o facto de “Sporting”, em português, dever escrever-se “Esportém” mas os comensais perceberam mal e começaram logo a fazer más piadas, do género “Deixa lá, meu caro Anacelto, que a gente exporta-os logo que deixarem de ter graça” e “Se houver quem os compre...”
Ainda se discutiu, brevemente, como se chamariam os adeptos. O filólogo fez ver que “sportinguistas” fazia tanto sentido como “racinguistas” ou “yachtinguistas” mas os outros, toldados, acharam bem e riram-se muito.
Veio mais uma garrafa de bom conhaque. Os empregados do Tavares já estavam de pijama e o número de vassouras encostadas à cristaleira já era avassalador (por se acreditar, À altura, que tal manobra mandaria os hóspedes indesejados para casa).
Eis que o mais bem disposto sugeriu que o estádio deste “Sporting” ficasse humilhantemente perto do Estádio da Luz, mas fosse mais pequenino e obrigado a dar concertos de rock para pagar a relva (isto apesar de não haver rock na altura, o que demonstra a presciência destes quatro brincalhões – mas, atenção, sábios).
O mais parvo, que à parte rir-se e beber só respirava, espantou todos com uma exclamação:”Havia de ficar ao pé daquela casa de frangos, para que a baliza ficasse abençoada...”
A medida foi adoptada. A hora já era tardia e os empregados do Tavares já tinham feito autênticas obras de arte com a maneira de montar inúmeras mesas e cadeiras umas em cima das outras, até riscarem o próprio, venerando tecto.
E assim nasceu o Sporting. Aplicando a língua do clube, foi um “practical joke”. Aliás, no século XXI, “Practical Jokers of Lisbon” poderia ser um bom nome para o clube, caso queira ajudar a esquecer o passado.
Seguindo a origem inglesa, os sportinguistas, tendo falhado na veia lusa, acertaram em cheio na “loser”. Parecendo agora que vou dizer mal dos nossos intrépidos luseiros, vou elogiá-los. “Luseiros” é um nome que, para quem esteja mal informado ou seja uma simples besta, até nem envergonha, por invocar a luminosidade; a luz do glorioso estádio e o rubor vitorioso dos lampiões.
Os sportinguistas não são “losers” no sentido americano. São luseiros genuínos. É verdade que perdem muito. Mas esfalfam-se. Correm como doidos.

Aplicam-se denodadamente mesmo quando já vão três na bilha e só faltam 20 segundos. Nunca desistem, tal é o brio em perder.
São artistas da derrota, luseiros de primeiro. Marcam primeiro; o jogo parece ganho mas, graças a não sei que artes, acabam sempre por alcançar o objectivo. Chegam a jogar muito bem – estão provavelmente entre as melhores 50 equipas portuguesas. E podem melhorar. Os jogadores vão a todas. Esgotam-se fisicamente. Enquanto outras equipas que eu cá sei (como aquela do bairro de Benfica) se contentam com um florilégio de tornozelo aos 83 minutos; os jogadores do Sporting comportam-se conforme os princípios (e digo isto sem ironia) mais nobres do desporto inglês: o importante não é ganhar. É jogar; participar; fazer o melhor que se pode e, sobretudo, perder.
Não é possível, sem ajuda, que uma equipa tenha tanto azar como o Sporting. Vez após vez, conseguem perder jogos que mereciam ganhar. Contratarão orixás banidos que lhes polvilhem o relvado de pragas? Sem dúvida.
Mas ganhar é-lhes repugnante. O Sporting é uma preciosa antiguidade – daí a invenção no Tavares – que nos mostra que não basta o esforço insano; a qualidade técnica; a indómita resistência à falta de sorte.
Não. Para ser luseiro, é preciso uma mentalidade, mais do que Zen, que é uma forma britânica de boa-educação. Em português parolo: “Deixa lá os outros gajos ganhar, para não ficarem chateados. O pessoal mata-se; eles limitam-se a tomar chá – mas que, por amor de Deus, levem a taça.”
As direcções do Sporting foram sempre impecáveis. Desconfio que chegam a “descomprar” os árbitros, caso sejam favorecidos e impeçam as derrotas injustas e imorais em que se viciara: “Toma lá mil contos para não veres as faltas evidentes dos nossos adversários.”
Os adeptos são os melhores do mundo. Enquanto os tripeiros, benfiquistas e manchesterianos amaldiçoam o clube deles quando perde, os adeptos do Sporting aceitam as derrotas filosoficamente e são magnânimes. Se qualquer das melhores cem equipas europeias tivesse os adeptos do Sporting, sem partilhar a filosofia luseira, seria sempre campeã.
Eles gostam é de poder ver jogar à bola, em que uma das equipas tenhas camisas às riscas verdes e brancas (são coisas) – e é esse o espírito amador, vorazmente leonino, que aquece o coração de quem nos vence.
Os luseiros não são uma equipa de futebol – são uma lição de moral.
Desunham-se por uma única razão: para que seja mais saborosa a vitória dos adversários. É verdade que, contra o Benfica, por razões Freudianas (o tal jantar embriagado no Tavares), às vezes tentam atipicamente ganhar. É natural. Bem faz o Benfica, culpadíssimo, em permitir-lhes façanha tal. Ninguém vive sem um mínimo de felicidade – está escrito.
Aqui há uns 35 anos (isto é mentira, mas aviso já) a revista “Século Ilustrado” promoveu um concurso em que se oferecia uma iogurteira a quem fosse capaz de adivinhar as sete letras do seguinte desafio: ”------- do Sporting”. A população inteira escreveu nos cupões a palavra “Coitado”. E dez milhões ganharam, explicando assim porque não há lar português sem uma iogurteira e o “Século Ilustrado” foi à falência.
Nem todas as notícias são más, nem todas as crónicas são desiludidas.
Este elogio do luseirismo dos luseiros do Sporting deverá ser visto, antes, como uma mordaz – e particularmente – severa crítica à nossa ganância de ganhar.

P.S. – Espero que os meus bons amigos afligidos pelo sportinguismo compreendam que tudo isto foi um exercício de humor, embora com um profundo, cavernoso até, fundo de verdade."

MIRÓ

Um visionário e um secretário.